Ana Montenegro uma guerreira

Publicado Jornal A TARDE

No dia 13 de abril de 1915, em Quixeramobim (CE), nascia Ana

Montenegro, primeira mulher exilada em decorrência do golpe de 64.

Ana estudou Direito na UFRJ e depois se radicou na Bahia. Ana

participou desde muito jovem de movimento de esquerda e tornou-se

uma das mais destacadas ativistas e fundadoras da União

Democrática de Mulheres da Bahia (1945), onde atuou até 1964,

quando se exilou. Também participou da fundação da Federação

Brasileira de Mulheres e do Comitê Feminino Pró-Democracia. Ana

Montenegro filiou-se ao Partido Comunista Brasileiro (PCB), em 1945,

ficha abonada pelo dirigente Carlos Marighella, participou da Frente

Nacionalista Feminista desde meados dos anos 50 até o golpe militar

em 1964. Ana depois do seu exílio passou a residir no México de onde

seguiu para a Europa. De 1964 a 1979 foi membro da Comissão da

América Latina pela Federação Democrática Internacional de

Mulheres. Com a democratização do Brasil, volta do exílio e passa a

residir em Salvador, reintegrando-se à luta feminista e, como ativa

militante, foi convidada a participar do Conselho Nacional dos Direitos

da Mulher (1985-1989). Ana Montenegro, uma guerreira que deve

ser sempre lembrada pelo fato de ter dedicado sua vida à causa

socialista. Uma defensora dos direitos dos trabalhadores e do povo,

em especial o das mulheres. Ana Montenegro é autora dos livros

Mulheres – participação nas lutas populares, Tempo de exílio e Ser ou

não ser feminista. Treze de abril, parabéns Ana Montenegro!

ALDERICO SENA, ALDERICOSENA@HOTMAIL.COM

Arquivos Recentes