Precisamos pensar no destino do Brasil

Sociedade, é hora de ação e não de omissão se quiser salvar o Brasil das garras e ambição dos malfeitores corruptos e corruptores. Sem atitude e bons exemplos da sociedade não poderemos construir um Brasil melhor para as novas gerações. Precisamos pensar no destino do Brasil. O eleitor é cúmplice da imoralidade em que atravessa o País, visto que a escolha dos péssimos políticos é feita pelo eleitor. Aprendemos a cumprir deveres pagando só Impostos, mas não sabemos exigir direitos por omissão, medo e covardia.

O que nós desejamos? E o que nós não desejamos para as futuras gerações? O momento é de reflexão e de mudança de atitude de cada cidadão brasileiro, considerando que quem cria e descria qualquer coisa é o ser humano e tudo que é ilegal é também imoral, principalmente quando vota em candidato corrupto em troca de qualquer coisa, o que é prejudicial para toda sociedade.

Quando o ser humano entender que a ambição de poder e de capital é que levam o homem a ser um corruptor e corrupto, talvez o indivíduo venha entender o que o Mestre Rui Barbosa escreveu e quis repassar, desde aquela época, “vergonha de ser honesto”.

A crise moral que o País atravessa não é de agora, já vem há longos anos, este acontecimento do LAVA JATO é fichinha e é mais um alerta para que a sociedade reflita o grau de responsabilidade que tem e passe a exercer a sua cidadania, combatendo, denunciando e reagindo contra os malfeitores que se utilizam do erário público para praticar a corrupção, o que afeta a qualidade de uma boa educação, saúde, segurança e outras políticas públicas, em detrimento de toda sociedade.

Quando deixei de ser candidato a cargo político no ano de 1990, confesso que foi por opção para preservar uma história de dignidade familiar, convicções políticas e idealismo, mas jamais deixei de participar de Partido Político como uma ferramenta para combater o bom combate e defender os interesses coletivos e do País. A sociedade é cruel com ela mesma. Princípios e valores começam em casa e na escola, as mãos de cada cidadão não são iguais, mas a sociedade generaliza e não sabe separar o “JOIO DO TRIGO”’, começando na classificação de que “todos os políticos são iguais”; essa atitude é que gera o afastamento de pessoas de bons costumes da política e que serve de “cheque em branco” para os maus políticos atuarem na prática da corrupção no setor público. A REMENDA da Reforma política aprovada no Congresso Nacional com a habilidade política do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha: Qual o cidadão, jovem, mulher, índio, aposentado, deficiente físico, dentre outras classes sociais menos favorecidas, que poderá disputar uma eleição no Brasil, em igualdade de condições com os PODEROSOS DO CAPITALISMO? Política no Brasil virou balcão e negócios, é preciso dar uma basta nesta imoralidade e vergonha nacional.

Enquanto o eleitor não aprender a votar no ser do caráter e não no ter do candidato corrupto continuaremos com tudo igual. Com a aprovação da reforma política recente pelo Congresso Nacional só pessoas ricas poderão participar do processo eleitoral no Brasil.

Eleitor, nem todos os políticos são iguais; lembramos que até os anos 80 não tínhamos o direito de votar e de escolher os representantes da cidadania, e quando conquistamos este direito, o eleitor continua elegendo e reelegendo os mesmos políticos que levaram e continuam levando o Brasil ao caos da imoralidade. Como poderemos almejar um PAÍS com “ORDEM E PROGRESSO”? “O pior analfabeto é o analfabeto político; ele não sabe que custo de vida, o preço do feijão, da farinha, do aluguel, do remédio, da escola, plano de saúde, transporte, entre outros”, enfim tudo na vida do país depende de decisões políticas.

Os recursos públicos, desviados desde os anos 60, quando da construção de Brasília, Ponte Rio Niterói, Itaipu e o Lava Jato, mensalão, orçamento dos anões, PC Farias, Banestado, INSS, Lalau, Carlinhos Cacheira, dentre outros, fossem devolvidos aos cofres públicos, destinados para educação, cultura, saúde, segurança, infraestrutura, dentre outras aéreas, mudaria a qualidade de vida de 200 milhões de brasileiros. Vamos aplicar a CPI DO ELEITOR, que é o voto consciente, a partir da próxima eleição de 2016?

Vamos também exercer a nossa cidadania para exigir do Governo uma reforma moral e organizacional nos três poderes constituídos (Executivo, Legislativo e Judiciário) para os novos rumos no Brasil?

Brasileiros, reflitam as palavras que Rui Barbosa escreveu: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”.

Precisamos pensar no destino do Brasil com ética, fidelidade e Patriotismo. “Mesmo assim, conhecendo as fraquezas humanas, os áulicos, os oportunistas, os levianos, os injustos e os traidores, a luta continua. Custe o que custar, doa a quem doer, vamos vencer!”.

ALDERICO SENA – ALDERICOSENA@HOTMAIL.COM – Bacharel em Teologia, Sociedade e Política, Especialista em Gestão de Pessoas e Presidente do Movimento do Aposentado do PDT/Bahia e Vice Nacional.

Arquivos Recentes