Artigos 2013

  • Sociedade é cruel com ela mesma

 

“Agente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem” Oscar Niemeyer. Grande perda política para o Brasil.

 

    O eleitorado se ausentou do processo político e das questões nacionais, erro gravíssimo e imperdoável.  Os altos índices de abstenção, somados aos votos brancos e nulos registrados na eleição de outubro, demonstra como a sociedade é cruel com ela mesma. A falta de consciência política do eleitor após os anos 80 é tamanha que se verifica que a atitude comportamental do eleitor só fez contribuir para o crescimento da corrupção, violência e da impunidade praticada no Brasil, considerando que toda e qualquer decisão depende da política. As falências da educação pública de qualidade, grêmio e diretório estudantil vetaram a formação de nova liderança estudantil e de classe donde nasciam os bons políticos.

  

    A partir dos anos 80 o eleitor perdeu a confiança na política e nos Poderes constituídos (executivo legislativo e judiciário).  Foi aí que a elite passou a dominar a educação que ficou deseducada, a saúde ficou doente e a segurança ficou insegura, devido à covardia, a omissão e a falta do exercício de cidadania do eleitor que foi afugentado pelo poder do capital, passando a votar em branco, nulo ou não comparecendo as urnas para efetivamente exercer o seu direito de cidadão, como único instrumento para a democracia e o desenvolvimento de um País.

 

     Para mudar este caos social e político que atravessa o País, só vejo uma alternativa, é a sociedade ir para RUA GRITAR, O POVO QUER A REFORMA POLÍTICA JÁ com financiamento público de campanha como única forma de mudar o Sistema eleitoral e o de moralizar os três Poderes Constituídos no Brasil.

 

    A sociedade precisa entender e aprender que todo cidadão já é político ao nascer, vejamos: Quando uma criança chora quer o que? Única forma de reivindicar é o choro. Disse BRECHT: “O pior analfabeto, é o analfabeto político, ele não sabe que o feijão, a farinha, o remédio, o transporte, a saúde, a educação, o aluguel, etc.” tudo depende de decisão política.

 

   Uma das coisas que a sociedade precisa exigir dos Poderes Públicos é mudar o critério de escolha do gestor público, observando currículo e história profissional para avaliar o caráter do “homem”. A sociedade é injusta com ela mesma, por que classifica todos os políticos de desonestos. As poucas lideranças políticas honestas ainda existentes foram impedidas de participar do processo político partidário de um Sistema eleitoral arcaico e direcionado.

 

   Aposentados, Pensionistas e a sociedade organizada precisam defender a Reforma Política Já, com o financiamento público de campanha e o voto facultativo, objetivando um novo modelo político e a participação de lideranças de todas as classes sociais no processo político eleitoral, visando coibir a corrupção de políticos desonestos que as suas campanhas são financiadas por grupos econômicos com interesses escusos.

 

   Sociedade existe um PODER maior que o do povo? Juntos somos fortes, separados seremos sempre fracos. É hora de ação e não de omissão. O momento é de reflexão e ação. Vamos passar a votar em 2014 no SER E NÃO NO TER do candidato.  Querer é Poder.

 

   Lembramos a sociedade, em especial ao eleitor, que nem todos os políticos são iguais, precisamos separar o “JOIO DO TRIGO”. A consciência política do eleitor é o fator preponderante para a descoberta de bons políticos que estão escondidos por não fazerem parte do sistema eleitoral ou por não ter a oportunidade de candidatar-se. É papel da sociedade participar do processo democrático para o crescimento e desenvolvimento do País.

 

   O povo brasileiro precisa aprender ao menos uma coisa com o povo americano, exercício de cidadania. Leiam o que escreveu em seu livro “A Estratégia de Barack Obama”: “Arregaçar as mangas talvez seja ultrapassado”; “Engajar-se na política pode ser a onda do futuro” e "A impermanência rege o universo os que resistem à mudança resistem à realidade e à vida em si”.

 

    Vamos todos juntos construir um Brasil melhor para as futuras gerações, cuidando e amando a natureza, observando que ela é quem cura e alimenta todos os seres.

 

   Neste epilogo aposentados, pensionistas e idosos, agradecem e parabenizam o Poder Judiciário pela brilhante atuação com destaque, a Juíza Federal Selene Maria Almeida, Eliana Calmon, Rita Tourinho, Joaquim Barbosa, Jorge Hage Sobrinho, dentre outros que estão conduzindo suas atribuições públicas com ética, isenção e imparcialidade para a moralização e a credibilidade dos Três Poderes Constituídos.

 

Alderico Sena–www.aldericosena.com.br- Especialista em Gestão de Pessoas, Cooperativismo e Convênios, Coordenador de Pessoal da Assembléia Estadual Constituinte-89, Presidente Estadual e Vice Presidente Nacional do Movimento dos Aposentados, Pensionistas e Idosos do PDT e Vice Presidente da Executiva Municipal da Cidade do Salvador do PDT- Partido Democrático Trabalhista 

   
 


 
  • Cidadania e participação

PÚBLICADO Jornal A TARDE, edição 12/01/13

 

     A participação da sociedade é fundamental. Descentralizar é fazer com que muitos participem. Para que haja um desenvolvimento democrático, a palavra-chave chama-se “participação”. Dentro de uma perspectiva humanista e não totalitária, o Estado é “meio” a serviço das pessoas e do bem comum e não “fim” em si mesmo ou entidade superior aos direitos fundamentais do homem e da sociedade, hoje expressamente reconhecidos no documento mais importante do Século XX, que é a Declaração Universal dos Direitos Humanos. A partir desses valores, parecem-nos necessárias algumas reformas e medidas fundamentais: reformas política, previdenciária, dentre outras.

 

ALDERICO SENA –ALDERICOSENA@HOTMAIL.COM
 


 


 

  • Caráter não tem preço

 Publicado no Jornal A TARDE, edição 3/02/2013

 

   Renan Calheiros, num deboche com o povo brasileiro, ousou a falar em ética, durante o seu discurso de posse – ética como “meio” não como “fim”, disse esquecendo tratar-se na verdade do “princípio” um valor de conduta inegociável. Caráter não tem preço.

 

ALDERICO SENA, ALDERICOSENA@HOTMAIL.COM


 

 

  • O Brasil carece de bons gestores

Publicado em Quinta, 12 Dezembro 2013 09:16

Alderico Sena

 

  A carência de bons gestores e de pessoal qualificado na esfera dos três Poderes, em especial na maioria dos 5.564 municípios brasileiros é um dos principais entraves para o crescimento e o desenvolvimento do País.                

 

  O que move e faz crescer o País é o investimento em educação, saúde, consciência política do eleitor, nível de investimento no setor produtivo e infraestrutura, como estradas de boa qualidade para escoamento da produção, geração de emprego e de renda.

 

  Os futuros governantes precisam conduzir os destinos do País com autonomia, isenção e imparcialidade para tanto será necessário de um bom quadro de parlamentares que tenham dignidade, princípios e valores. Sem Casas Legislativas fortes e independente com bancadas de Senadores, Deputados e Vereadores de oposição e situação que se respeitem entre si, não teremos nunca o Brasil que todos sonham. A sociedade tem que exigir dos futuros gestores as certidões negativas que comprovem “FICHA LIMPA”, homem de caráter para compor equipe de governo e gerir a coisa publica. É hora de dá um basta no corrupto e no corruptor do erário publico. O governo precisa também ter coragem para promover um conjunto de medidas destinadas a reduzir Ministérios, Secretarias, Fundações e autarquias que desenvolvem atividades correlatas, cortar despesas para aperfeiçoar, revitalizar e moralizar o Serviço Público, a máquina pública é muito pesada e burocrática.  Também o governo precisa focar que, quanto mais gerir com austeridade, fiscalização, zelo, eficiência e eficácia o tamanho de sua estrutura, mais poderá realizar benefícios para a sociedade em geral.

 

  O sinal de alerta promovido pelos manifestantes em junho/13, serviu de ensinamento para os governantes, parlamentares e demais autoridades, no sentido de rever seus princípios, conceitos e critérios na forma de condução da coisa pública com padrões, metas, prioridades e qualidade na prestação de serviços a sociedade. Os manifestantes têm razão, tudo na vida tem limite. A sociedade foi desafiada, chegando à tolerância zero.

 

  Outro aspecto que os três Poderes, precisam adotar critérios para eliminar o alto grau de burocracia e melhor disciplinar, o controle e o acompanhamento da gestão no setor público, com fiscalização e penalização rigorosa daqueles que não zelar bem do erário público.

 

  A coisa como está é que não pode ficar. Homem de bons costumes não está querendo mais exercer cargos no setor publico, devido o excesso de controle e burocracia que impede ações de políticas publicas em beneficio da sociedade, em especial da população carente. Um exemplo claro é a dificuldade em socorrer desastres naturais, enchentes, dentre outras catástrofes, principalmente como a que ocorreu em Lajedinho – Bahia.

 

  No Brasil ninguém confia mais em ninguém. Só que nem todos os dedos de uma mão são iguais. É preciso saber separar o “JOIO DO TRIGO”. Como consequência pessoas idôneas deixam de participar do processo político e de atividades profissionais no Setor Público.

 

  O Brasil carece de bons gestores. Gestão pública não é um tema popular porque as pessoas não têm a visão da dimensão do que significa. Mas ela é a mola mestra necessária para a qualidade da educação, da saúde, da segurança, saneamento básico, dentre outras ações de políticas públicas. Sem uma boa gestão e um Programa de Valorização do Servidor, ainda que tenha recursos, não é possível prestar serviço à sociedade de boa qualidade.

 

  O gestor tem que trabalhar com meta e prioridade, ter foco para obter resultado em prol da coletividade. As pessoas, por uma questão cultural e educacional, buscam o resultado mais imediato, este é um erro que faz a diferença do bom político para o político desqualificado.

 

  A Instituição Pública no Brasil precisa passar por uma modernização organizacional e administrativa para conquistar o crescimento e o desenvolvimento do País, considerando as suas riquezas: geográfica, natural e cultural. É essencial que a forma de administração se modernize a exemplo de Países desenvolvidos. No entanto é preciso adotar critérios para ampliar a eficiência do quadro de servidor e do serviço público com formação, informação e capacitação.  

 

  O governo precisa implantar o Manuel do Servidor Público para que todos os servidores tenham conhecimento do seu dever para com a sociedade. Afinal quem custeia os Três Poderes é a sociedade, através de impostos recolhidos aos cofres públicos.

 

  Se o governo e o Congresso Nacional não priorizarem uma Reforma Política completa para moralizar o Sistema Eleitoral, o homem de dignidade não participará mais do processo eleitoral e será um prejuízo incalculável para a democracia, face o jogo e a força do capitalismo nas eleições. Tudo que é ilegal é imoral. No Brasil, ganha eleição quem tem PODER e CAPITAL.

Sociedade a hora é de ação e não de omissão. “O cidadão que não conhece os seus direitos, não tem o direito de lutar por eles” Ruy Barbosa

 

ALDERICO SENA – Especialista em Gestão de Pessoas, Vice-Presidente da Executiva do PDT de Salvador –aldericosena@hotmail.com

 

  • Povo educado, país desenvolvido

Publicado em Segunda, 20 Maio 2013 19:59 www.noticialivre.com.br / Tribuna da Bahia 22/05/13

 

  O povo brasileiro precisa exercer a sua cidadania visando ações para novos rumos culturais e educacionais para o Brasil, em face de inversão de valores éticos e morais de uma sociedade falida educacionalmente.
A escassez de lideranças políticas, de cabeças pensantes com idéias e ideais no Brasil, não existe mais, lideres do quilate de: Jango Goulart, Anísio Teixeira, Leonel Brizola, Darcy Ribeiro, dentre outros, tem levado o país a um retrocesso educacional que só as gerações futuras sentirão os reflexos que a juventude de hoje sente os reflexos da falta de lideranças, construídas nas escolas.

 

  “O que Darcy Ribeiro se propôs, no campo da educação, foi justamente isto: revelar o Brasil para os brasileiros. Isto seria a grande revolução. Revolução-revelação; revolução educação. Então, este é talvez o grande vazio, a grande lacuna que o Brasil vive hoje”.

 

  Precisamos de uma geração nova para pensar o país – pensar um projeto de país, um projeto de futuro. E não um projeto de poder. No entanto no primeiro momento, os movimentos sociais têm que exigir a revisão da Constituição e a reforma política com o financiamento público de campanha para transformar o Sistema eleitoral e o perfil político dominante de influência da elite capitalista com financiamento de campanha de laranja para pratica de corrupção e impunidade no Setor Público. E em Segundo plano as reformas: tributária, previdenciária e o Código Penal.

 

  Povo brasileiro é hora de ação e não de omissão. Ninguém bota arma no eleitor para votar e quem elegeu e reelegeu Collor de Melo, José Sarney, Jader Barbalho, Paulo Maluf e tantos outros que estão deliberando os destinos do país e as condições de vida da população? Essa verdade está clarificada na conhecida observação de BRECHT: “O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não que o custo de vida, o preço do feijão, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas”.

 

  Eleitor, pare, pense e vote consciente, considerando que quem não gosta de política é governado por quem gosta, sem educação pública de qualidade em tempo integral na escola de primeiro e segundo grau e a valorização do professor não alcançaremos a cultura e a educação de um país desenvolvido. Povo educado, país desenvolvido.

 

  O povo só consegue transformar uma Nação com ação, exercício de cidadania e não com omissão, a exemplo da derrubada do regime militar de 64 em 1984, a vitória da direta já, à Assembléia Nacional Constituinte em 1988 e o afastamento do Presidente Fernando Collor de Mello. Por isto que a sociedade organizada, principalmente a OAB, CNBB E ABI deve iniciar a carreata do Movimento pela Reforma Política com o financiamento público de campanha e a eleição única (Presidente, Senador, Governador, Deputados Federal Estadual, Prefeito e Vereador), visando Custo Brasil.

 

  Quando Aristóteles Onassis escreveu: “Hoje acordei para vencer”. A auto-mensagem positiva logo pela manhã é um estimulo que pode mudar seu humor, fortalecer sua auto confiança e, pensando positivo, você reunira forças para vencer para os obstáculos. Não deixe que nada afete seu estado de espírito. Envolva-se pela musica, cante ou ouça. Comece a sorrir mais cedo. Ao invés de reclamar quando relógio despertar agradeça a DEUS pela oportunidade de acordar mais um dia.

 

  Tudo o que merece ser feito, merece ser bem feito. Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação. Mude, opine, ame o que você faz. Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da “missão cumprida”. Lembre-se, nem todos têm a mesma oportunidade. Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere pelo melhor.

 

  Transforme seus momentos difíceis em oportunidades. Seja criativo buscando alternativas e apresentando soluções ao invés de problemas. Veja o lado positivo das coisas e assim você tornará seu otimismo uma realidade. Não acumule fracassos e sim experiências. Tire proveito de seus erros e amplie seus conhecimentos. Dimensione seus problemas e não se deixe abater por eles. Tenha fé e energia, acredite. Você pode tudo o que quiser.

 

  Perdoe, seja grande para os aborrecimentos, nobre para a raiva, forte para vencer o medo e feliz para permitir a presença de momentos infelizes.

 

  Finalmente, ria das coisas à sua volta, ria de seus problemas, dos seus erros, ria da vida. “A gente começa a ser feliz quando é capaz de rir da gente mesmo”.

 

  Quando é que o eleitor brasileiro irá aprender a votar no SER HOMEM e não no TER do candidato a cargo eletivo e aplicar uma CPI DO ELEITOR, apelidada de voto consciente para construir um Brasil melhor com educação pública de qualidade em tempo integral para que o povo brasileiro tenha orgulho da Bandeira Nacional - ORDEM E PROGRESSO da Pátria Amada Brasil. 

 

Alderico Sena – Presidente Estadual e Vice Nacional do Movimento dos Aposentados, Pensionistas e Idosos do PDT – Partido Democrático Trabalhista

 

  • Desestruturação Familiar e Educacional

Publicado em Quarta, 05 Dezembro 2012 08:55

Alderico Sena

 

  A desestruturação familiar e educacional do “Homem” tem levado o ser humano a comportamentos extremos que faz necessário um novo modelo do sistema educacional, com critérios de fiscalização e na concessão de Alvará de Funcionamento do Estabelecimento de ensino no Brasil. O ensino púbico necessita de padrões curriculares que verdadeiramente preparem o professor. Para verificar como está a educação no Brasil, é só proceder a uma avaliação do aluno que concluiu qualquer curso em Unidade de Ensino Superior e a escassez de mão de obra qualificada nas diversas áreas profissionais no mercado de trabalho.

 

   Educação em tempo integral às crianças na escola se faz necessário como defende o PDT- Partido Democrático Trabalhista. “Só nos resta à esperança radical, que devolva aos brasileiros a ousadia de tudo repensar para reinventar o Brasil que queremos”, Darcy Ribeiro.

 

   Resgatar a família, a educação e o Brasil, é um dever cívico de todo cidadão, é também refletir o passado, procurar viver melhor o presente, pensando no futuro das crianças. É possível fazermos com consciência de que as gerações de hoje não devem esquecer-se de lembrar que a história de uma cidadania/nação é sempre uma lição para as gerações vindouras. A educação está deseducada em casa e na escola, enfim em todos os meios sociais.

 

   Nos anos 60 a 70, existia a disciplina OSPB - Organização Social e Política Brasileira, onde as crianças eram educadas e orientadas para, acima de tudo, respeitarem a Pátria, os pais, os mais velhos, um padre, um policial, enfim todos os cidadãos. Hoje, é vergonhoso como o desrespeito já começa em casa e reflete na escola. As crianças não respeitam mais os professores não por culpa deles, mas sim, por culpa de muitos pais e governantes que não colocam a questão da educação, disciplina, limite e a dignidade como prioridade, afinal educação é à base do desenvolvimento humano de um País.

 

  A partir dos anos 80, o ser humano passou a ser egoísta, individualista, corporativista, ambicioso, tendo comportamentos de seres irracionais, esquecendo também da família e, em especial, dos filhos. A juventude dos anos 60 e 70 os que existia de mais precioso era: amizade, lealdade, pureza, solidariedade, cooperação, relacionamento honesto, união e o mais bonito era: (UM POR TODOS, TODOS POR UM) onde só se pensava no SER e não no TER (tirar proveito) do cidadão. TER, na época era coisa careta, os jovens andavam “sem lenço e sem documentos” e hoje o TER, na cabeça dos jovens, é o grande causador do ingresso na delinqüência e da sua própria destruição, uma inversão de princípios e de valores total.

 

   Muitos pais esquecem que seus filhos não estão interessados em relação de bens patrimoniais, contas bancárias gordas e bens materiais, o que querem é um pai amigo para conversar, assistir um filme, assistir um jogo, curtir um restaurante, enfim ser um irmão de fé e camarada.

 

   Hoje, o que mais se vê são filhos órfãos de pais vivos. É a mãe para um lado e o pai para o outro, a criança desamparada sem amor, sem diálogo, sem carinho, psicologicamente desorientada. Existem famílias em que irmãos crescem como verdadeiros inimigos e que se encontram por acaso em suas próprias casas. Quando querem falar com os pais, estes se encontram ocupados, enquanto o filho pode estar usando alguma droga, praticando vandalismo, convivendo ou sendo catequizado por grupos maléficos.

 

  Senhores pais, a juventude encontra-se desestimulada e alheia, está à margem. Muitas vezes, por desencanto ou por ser órfão de pai e mãe vivos, vai buscar no tóxico, bebida, volante e na vadiagem, a solução para suas carências que, certamente não existiriam se houvesse mais carinho, amor, harmonia e paz nas famílias.

Pensem senhores pais, será que vamos continuar pecando com os nossos filhos ou vamos procurar ser mais do que querer sempre ter mais.

 

“Todo homem, cada homem, é responsável pelo destino da humanidade, por suas ações ou omissões”.

 

“O individualismo gera o egoísmo, raiz de todos os males”.

 

“A dignidade do homem reside na família (Papa João Paulo II)”.

 

“O cidadão que não conhece os seus direitos, não tem o direito de lutar por eles”. O momento é de reflexão e ação. Não podemos esperar pela vontade política de governo para investir em educação, porque o instrumento de mudança está nas mãos de cada cidadão.

 

Princípios familiares e educacionais são as ferramentas básicas de transformação e socialização do ser humano, considerando que família é o alicerce e a educação é à base de tudo. Vamos juntos resgatar a família e a educação com princípios, atitude, exemplo, ética e dignidade que são os valores de: “HOMEM”.

 

Alderico Sena–www.aldericosena.com.br- Especialista em Gestão de Pessoas, Cooperativismo e Convênios, Coordenador de Pessoal da Assembléia Estadual Constituinte-89, Presidente Estadual e Vice Presidente Nacional do Movimento dos Aposentados, Pensionistas e Idosos do PDT e Vice Presidente da Executiva Municipal da Cidade do Salvador do PDT- Partido Democrático Trabalhista