O porque da importância da criação do SESESPOC Serviço Social do Esporte e Cultura - Noticia Livre

07 de novembro de 2022

Colunistas Destaques - Alderico Sena

O porque da importância da criação do SESESPOC Serviço Social do Esporte e Cultura

7 de novembro, 2022 Redação

No Brasil existe 17,5 milhões de cidadãos nas favelas.


Parabenizo os organizadores, patrocinadores, Professores, a Rebeca ANDRADE CAMPEÃ MUNDIAL DO BAILE DA FAVELA, bem como Rayssa Leal, Campeã 2022 Las Vegas Champion, jogadores Talisca, Eric Ramires e tantos outros de origens humildes que venceram obstáculos com o suporte dos pais e estão honrando o nosso povo e o Brasil.


A escassez de investimento, valorização e reconhecimento de crianças e jovens talentosos na arte, cultura e esporte é uma realidade por falta de financiamento de instituições públicas e privadas no Brasil.


O sentimento desse descaso com a cultura, a arte e o esporte têm levado crianças e jovens a frustações, realizações sonhos o que tem contribuído para o retrocesso educacional, cultural e o ingresso na delinquência.


Senhor Presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, na sua Carta dirigida ao Prezado Alderico Sena, datada de 21 de novembro de 2002, quando cooperei com propostas de governo, consta no último parágrafo a seguinte redação: “Mas uma vez, agradeço a você e faço um convite para que continue acreditando e participando cada vez mais da construção do país com que todos sonhamos. Assina Presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.”


Senhor Presidente, continuando acreditar na construção do país que todos sonhamos, informo que os pilares para inclusão social de crianças e jovens para não se envolverem em coisas maléficas é o ensino, arte, esporte e cultura.


Senhor Presidente Lula, a criação do SESESPOC – Serviço Social de Aprendizagem do Esporte e Cultura, será um MARCO na história do Brasil, onde tenho certeza que proporcionará muitas felicidades, realizações e sonhos de crianças e jovens carentes que possuem talentos mais não são motivados e valorizados por falta de investimentos para OUSAREM E VOAREM.


Presidente LULA, a maioria dessas crianças e jovens nascem na PERIFERIA e seus pais não tem recursos para mantê-los, são cidadãos que usam esse meio para expandir, ter alegria e realizações, é como ir para uma igreja, sala de aula, partida de futebol, enfim fazem o que ama.


Senhor Presidente, a criação do SESESPOC – Serviço Social de Aprendizagem do Esporte e Cultura tem por objetivo: Organizar, administrar e executar o ensino de formação profissional, a promoção social dos empregados, atletas e familiares das áreas desportiva, arte e cultura.

Senhor Presidente precisamos dá um BASTA na discriminação racial, injurias e barreiras, visto que “O SOL NASCE PARA TODOS”, afinal todos 215 milhões de cidadãos pagam impostos aos governos, municipal, Estado e a União.


Os Mestres Percursores da CAPOEIRA, BIMBA, PASTINHA, CARLOS SENNA E OUTROS MESTRES, enfrentaram muitas barreiras e dificuldades para expansão da Capoeira, devido a cultura da elite e o capitalismo do passado. “Quem jogava Capoeira era Marginais” e a capoeira hoje está pelo mundo.


Meu irmão inmemoriam, Mestre Carlos Senna, proprietário do Centro de Pesquisa, Estudos e Instrução de Capoeira – SENAVOX, deu início a quebra da resistência cultural na ELITE CAPITALISTA, BAIANA junto ao Governador do Estado, constante no Oficio de nº 126 datado – Salvador, 09 de setembro de 1980, dirigido ao então Dr. Ministro da Educação e Cultura, Eduardo Mattos Portela pelo Governador Antônio Carlos Magalhães, que transcrevo o último parágrafo do Oficio 126/80:“Receptivo à ideia, o Governo do Estado deseja manifestar a Vossa Excelência que empresta integral apoio à iniciativa, considerando-a de real importância, porquanto objetiva proteger, para transmitir às gerações vindouras, tão intactos quanto possível, valores positivos da cultura brasileira.”

Observem também as dificuldades de profissionais talentosos constante nas publicações do Jornal A Tarde – “Jovem talento -Sidjonathas, Cineasta baiano arrecada fundos para especialização em Cuba” e no Noticia Livre – “Time de futebol faz vaquinha para disputar Campeonato Brasileiro de Amputados no Noticia Livre em 27 de outubro.


Na Cidade de Fortaleza, no Estado do Ceará, vai acontecer, no período de 3 a 6 de novembro, o Campeonato Brasileiro Série B de Amputados, O time SSA Amput de Salvador/Bahia está preparado para disputar o campeonato, mas precisa arrecadar R$6 mil para conseguir fazer a viagem. O dinheiro será usado para arcar com a gasolina e alimentação na estrada para todos os atletas.”


Transcrevo depoimento da minha filha Bailarina Maiana Sena que comprova a falta de investimento e valorização da cultura no Brasil.

Pai lembrei dos dizeres da camisa que lhe dei quando fui para a Escola Bolshoi “PAI DE BAILARINA: A BAILARINA É A FILHA, MAS QUEM DANÇA É ELE, O …” KKKKK

“Maiana Sena, Bailarina – Ebateca Costa Verde e Vilas do Atlântico, Escola de Dança Bolshoi, Companhias de Dança – Chicago EUA e atualmente Professora de dança na AUSTRÁLIA.

Pai o Brasil é muito rico em arte, cultura e esporte mais falta vontade política e visão desse potencial pelos governantes, políticos e empresários. Lembro pai de uma frase do Professor Darcy Ribeiro que o Senhor gosta de escrever nos seus artigos: “A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto.”

Pai, falando esse negócio de ajuda para crianças, jovens e profissionais do esporte, arte e cultura. Eu nunca na vida vou esquecer quando eu estava tentando patrocínio ai em Salvador na Secretaria de Cultura para continuar dançando lá em Chicago para poder compartilhar a minha arte e fazer acontecer, isso o que estou fazendo aqui na Australia, dançando a cultura brasileira, eu já poderia estar fazendo desde de CHICAGO/EUA, o que não fiz porque não tive ajuda do governo, do meu país, eles deram patrocínio aos Artistas famosos como: (…… e …..), mais para mim que estou cooperando na expansão da arte brasileira pelo mundo afora, não deram essa oportunidade. Acho extremamente importante essa PROPOSTA do Senhor Pai.

É triste pai quando vejo tantos Artistas, Bailarinos e outros excelentes profissionais que estão pelo mundo se sacrificando distante de suas famílias e que não querem de jeito nenhum retornar ao Brasil porque a gente não tem ajuda, não tem valor e reconhecimento do nosso País.


Quero muito voltar ao Brasil pai mais não posso. É uma dor muito grande. Te amo Pai!” Maiana Sena


Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Membro Fundador e Ex- Superintendente do SESCOOP – Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado da Bahia e Ex- Assessor do IAT – Instituto Anísio Teixeira – site: www.aldericosena.com