Transformaram a política em politicagem Noticia Livre


Colunistas DestaquesAlderico Sena

Transformaram a política em politicagem

14 de novembro, 2022 Redação


Transformaram a política em politicagem com significados pejorativos e desagradáveis dos interesses pessoais, corrupção, troca de favores e financiamentos, ódio, violência em detrimento da população como é o caso dos acordos firmados com (CENTRÃO ORÇAMENTO SECRETO) no Congresso Nacional. Com tantos desmandos praticados contra o Brasil a sociedade estará atenta e vigilante a atuação dos Parlamentares, Governadores e Presidente da República eleitos que conduzirão as condições de vida da população e o destino do País com ações POLITICA e não de politicagem para que o Brasil retome a “ORDEM E PROGRESSO”.

O Brasil é um País em crise. Crise moral, política, institucional e o pior sem líderes autênticos e coerentes. A escassez de líderes, os poderes constituídos fragilizados e a falta de maiores investimentos na educação, ciência, pesquisa e tecnologia, só contribuíram para o retrocesso socioeconômico e o crescimento do País.

A velha guarda nos diversos segmentos da sociedade como a perda da nossa amada guerreira ideológica GAL COSTA, Ulisses Guimarães, Tancredo Neves, ACM, Leonel Brizola, Mario Covas, dentre outros estão indo para o descanso eterno e o que será do Brasil sem a renovação dessas lideranças. O retrocesso político do Brasil se encaixa com as frases do Mestre Darcy Ribeiro “A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto.” “Educação não é cara. Cara é a ignorância” Leonel Brizola. Os Movimentos Sociais precisam ser revitalizados, principalmente grêmios e diretórios estudantis para combaterem o bom combate na defesa das causas públicas e dos Símbolos Nacionais, visto que o grau de representação política está a desejar até então.

“O homem é um ser político”, disse Aristóteles. Assim, a política está presente em todos os lugares e em tudo o que fazemos: nas formas de poder, decisões e conflitos. Além do mais, o modo como nos organizamos em sociedade define a história, presente e futuro.

A palavra política tem vários significados. Um deles é o ato de governar, de administrar e gerir com princípios da legalidade, impessoalidade e moralidade a Administração pública, conforme estabelece o artigo 37º da Constituição Federal. Impostos são pagos ao governo para o bem comum nas despesas “Correntes e capital” como: construção de escolas, universidades, hospitais, presídios, estradas, salários e encargos de servidores e manutenção de unidades dos Três Poderes.

Se o dinheiro público e o orçamento aprovado não forem bem aplicados com zelo, ética e responsabilidade, a sociedade não terá bens e serviços, amparados na Constituição.

A sociedade precisa exercer a cidadania, fiscalizando e denunciando o cumprimento das atribuições dos que governam e representam a população nos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. “Todo o poder emana do povo” Artigo 1º e Parágrafo único da Constituição Federal.

Quando a população julga que seus governantes e parlamentares não estão administrando bem o Município, Estado e País, deve exercer a cidadania e reclamar, conforme estabelece a Lei de Acesso à Informação Nº 12.527/2011, essa reclamação chamamos de ato político. Ou seja, fazemos política quando nos interessamos pela forma como são administrados os bens públicos, quando nos organizamos para reivindicar os direitos da cidadania, escolha dos políticos que vão nos representar e quando cobramos deles o cumprimento das promessas que fizeram em campanha.

Quem não gosta de política é governado por quem gosta. “Quando os que comandam perdem a vergonha os que obedecem perdem o respeito” Georg Lichtenberg.

Eleitores, consultem a frase de Bertolt Brecht “O analfabeto político” e saibam o porque toda ação é política. A palavra política é exercida em todo e qualquer ambiente social e profissional, em casa, escola, hospital, sindicato, condomínio, cooperativa, dentre outros.

Até em casa têm a sua política própria. Por exemplo, as regras de casa podem ser diferentes daquelas das casas dos vizinhos. E quando famílias não aceitam as regras, quer mudá-las e tenta fazer uma negociação com seus pais, você também está fazendo política, pois está reivindicando o que você acha que sejam os seus direitos de família e vizinhos.

Eleitores só com educação e com o voto consciente transformaremos a Nação para as futuras gerações e não votando em branco e nulo como ocorreu 21% de abstenções nessa eleição.

A CPI DO ELEITOR É A ÚNICA ARMA PARA EXPURGAR POLITICOS DESCOMPROMETIDOS COM AS CAUSAS PÚBLICAS.

2024 teremos eleições para Prefeitos e Vices e Vereadores nos 5.570 municípios, pesquise a história dos pretensos candidatos, principalmente no que concerne a princípios e valores do Caráter, capacidade e comprometimento para representarem bem com zelo e ética os destinos dos Munícipios e da população. CPI DO ELEITOR É O VOTO CONSCIENTE! SEJA A MUDANÇA!

Sociedade, Lei que resolve muitos problemas – LEI-TURA! Ler é libertador, conquista conhecimento, crescimento pessoal e profissional.

Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Coordenador de Pessoal da Assembleia Estadual Constituinte de 1989, Ex-Vice Presidente da Executiva Municipal de Salvador PDT– Partido Democrático Trabalhista e Ex- Ouvidor da CBPM Companhia Baiana de Pesquisa Mineral site: www.aldericosena.com