RACISMO E INJÚRIA SÃO QUESTÕES, EDUCACIONAIS, CULTURAIS E POLÍTICA - Notícia Livre


Colunistas Destaques

RACISMO E INJÚRIA SÃO QUESTÕES, EDUCACIONAIS, CULTURAIS E POLÍTICA

Janeiro 7, 2021 Redação 0 Comments

Alderico Sena


“Lei da vida: Tudo melhora quando você decide não se importar mais”. Mais do que lavar as mãos, o ser humano precisa lavar o coração, a alma, a mente e o espírito.

Meu primeiro artigo de 2021, tem por objetivo, provocar um debate amplo com a sociedade organizada e a mídia, considerando que todos precisam transformar seus conceitos, crenças e atitudes para nos olharmos um ao outro como irmãos. Educação é formar cidadão e dignificar o homem.

Inicialmente informo, que eu Alderico Sena, sou filho de cidadão negro, Eurico Senna, irmão do Mestre de Capoeira Carlos Senna, proprietário do Centro de Pesquisa, Estudo e Instrução SENAVOX e do Ex- combatente da Marinha que participou da 2ª Guerra Mundial, Gilberto Senna, então com muito orgulho sou NEGRO, Nordestino e Brasileiro.

O que me levou a escrever sobre o tema são as BABAQUICES e o último episódio da atitude do jogador do Flamengo que sem comprovação concreta, acusou o jovem jogador RAMIRIZ de injúria e racismo e o Presidente do Bahia Guilherme Bellintani, afastou o jogador por pressão da mídia sulista que na minha concepção errou na punição do jogador por ter sido uma estratégia da direção do Flamengo, visando irritar os jogadores do Bahia e o Flamengo virar o jogo para 4 X 3 com o objetivo de beneficiar o Vasco da Gama.

Meu objetivo é provocar um debate e buscar conscientizar o cidadão negro, que quem quer respeito se respeita e nós NEGROS precisamos nos valorizar e exigir respeito da sociedade as nossas origens e raízes. Primeiro é preciso organização, participação, cooperação e união de todos nas entidades representativas para nos tornarmos fortes, independentes e respeitados aplicando a filosofia do COOPERATIVISMO para defender junto aos governos, educação e segurança pública de qualidade, Bibliotecas nos Bairros, Valorização e condições dignas de trabalho para o Professor da periferia, treinamento de policiais militares, civis, vigilantes e seguranças de shoppings nas áreas de relações interpessoais e educação associativa, visando mudar a forma de abordagem e ações violentas contra o negro, criação do PNB – PARTIDO DA NEGRITUDE para eleger representantes líderes negros autênticos que honrem e defendam as causas coletivas nas Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas, Câmara Federal e Senado, considerando que condições de vida da população e às políticas públicas, dependem de decisão política nas Casas Legislativas.

Só conseguiremos COIBIR O RACISMO E A INJÚRIA NO BRASIL quando famílias e escolas iniciarem um trabalho com as crianças desde as primeiras letras sobre injúria e racismo.

Um fato que ocorreu com o meu filho quando estudava no infantil com 4 anos na escola Experimental, um coleguinha disse: “André seu pai é negro, ele respondeu meu pai é marrom”. KKKKk. Até hoje aos 34 anos, brincamos sobre o fato com amigos e família.

Precisamos também combater e exigir do governo medidas mais enérgicas na defesa, proteção e amparo da criança, jovem, mulher, idoso e LGBTQ, face o crescimento da violência, cada vez mais crescente contra esses cidadãos.

Quem lembra quando criança, ouvimos pessoas falarem, que: “Branco correndo era atleta e preto correndo é ladrão; A Capoeira quem praticava era marginais “, dentre outros adjetivos pejorativos e agressivos. Quem dava brilho ao Carnaval, dentre outras festas, eram a Negritude através dos Blocos Barroquinha Zero Hora, Lord’s, Clube do Rato, Previsão, Muquiranas, Se Ver Paroano, Pelotas, Sniff, Filhos de Gandhy, Mercadores de Bagdá, Filhos do Mar, Alerta Geral, Apaches, ilê Aiyê, Olodum, Alvorada, Secos e Molhados e nas Escolas de Samba, Filhos da Liberdade, Juventude do Garcia, Filhos do Tororó e os BACANAS brincavam em três Blocos Barões, Jacu, Internacionais nos Bailes da Associação Atlética e do Yacht Clube. Quando a elite passou a dominar o carnaval com Blocos de Trios Elétricos, pais, avós e filhos de foliões perderam ESPAÇO NA AVENIDA e não mais puderam colocar na área reservada na Avenida Sete, o tamborete, cadeiras e bancos para assistirem às CARETAS e ver seus filhos, netos brincarem nos Blocos, Afoxés, Escolas de samba, Bandinhas, etc.

A cultura Negra é de uma riqueza fantástica com muitos talentos e que precisamos nos organizar e procurar preservar nossas raízes deixadas como herança pelos nossos antepassados que por vacilo e falta de união, perdemos alguns espaços das nossas raízes, como se verifica nas Lojas de Conveniências e Baianas de acarajé Loiras de Olhos azuis, verdes, produzindo e vendendo produtos da Cultura Negra.

O SOL NASCE PARA TODOS e jamais deveria admitir qualquer tipo de discriminação racial, injúria, religião, dentre outros, desde que o ser humano agisse como um SER humano e não como UM SER DESUMANO, visto que a Constituição Federativa do Brasil, garante: “Soberania; cidadania; dignidade da pessoa humana; valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; Todo poder emana do povo; construir uma sociedade livre justa, e solidária; erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. O Artigo 5º. Todos são iguais perante a lei sem qualquer natureza …….., dentre outros DIREITOS E GARANTÍAS INDIVIDUAIS”.

Racismo e injúria são questões educacionais, culturais e políticas. A Comunidade negra tem que agir e reagir a todas estas questões e exigir dos GOVERNOS E CONGRESSO NACIONAL, maiores investimentos nas áreas da Cultura, Educação, Segurança, Saneamento Básico, concessão do direito a terra aos índios e Quilombolas, Lei tornando crime inafiançável a discriminação racial e injúria e inclusão social do negro no mercado de trabalho.

No Brasil: “56,10%. Esse é o percentual de pessoas que se declaram negras no Brasil, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua do IBGE. Dos 209,2 milhões de habitantes do país, 19,2 milhões se assumem como pretos, enquanto 89,7 milhões se declaram pardos. Os negros – que o IBGE conceitua como a soma de pretos e pardos – são, portanto, a maioria da população”.

O QUE SE FAZ NECESSÁRIO É O EXERCÍCIO DE CIDADANIA E O CUMPRIMENTO DOS DEVERES CIVÍCOS CONSTITUCIONAIS POR CADA CIDADÃO NEGRO, A FIM DE CONVIVERMOS COMO IRMÃOS CIVILIZADOS COM PAZ, AMOR, SOLIDARIEDADE E FRATERNALMENTE PARA QUE POSSAMOS CONQUISTAR NOSSOS DIREITOS E A RESPEITABILIDADE DE FORMA COERENTE, HONESTA E DIGNA! NADA MUDA SE VOCÊ NÃO MUDAR! “APRENDEMOS A VOAR COMO OS PÁSSAROS, A NADAR COMO PEIXES; MAS AINDA NÃO APRENDEMOS A CONVIVER COMO IRMÃOS” MARTIN LUTHER KIG

PAIS EDUCAM E ESCOLA ENSINA. QUANDO FORMOS CAPAZES DE ULTRAPASSAR AS APARÊNCIAS, AÍ SIM, ENTRAREMOS EM CONTATO COM A REALIDADE E NÃO SENTIREMOS ÓDIO OU RAIVA DE NINGUÉM. MUITO DO QUE NOS LEVA AO SOFRIMENTO É A IGNORÂNCIA. É NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS QUE SE REVELAM AS VIRTUDES DOS PAIS. A EDUCAÇÃO VEM DO EXEMPLO, DAS ATITUDES, E COM TODA CERTEZA EDUCAÇÃO VEM DE CASA.

O BRASIL SERÁ DE TODOS OU DE NINGUÉM COM EDUCAÇÃO E CONSCIÊNCIA HUMANA! SEJA A MUDANÇA!


Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Ex- Conselheiro do Esporte Clube Bahia e Ex- Diretor Executivo da SECNEB – Sociedade de Estudos da Cultura Negra no Brasil – www.aldericosena.com – Consulte – Lei que resolve muitos problemas – Lei-tura! SABER CRIA FUTURO!


Arquivos Recentes