O problema da sociedade e do Brasil a solução está na educação 6 de outubro, 2022 -


Colunistas Destaques Alderico Sena - publicação www.noticialivres.com.br


O problema da sociedade e do Brasil a solução está na educação

6 de outubro, 2022 Redação 0 comentários


Aos futuros Presidente, Senadores e Deputados Federais eleitos pela vontade da maioria dos eleitores para representarem a cidadania e o País, durante os próximos 4 anos e todos tem o dever cívico de respeitar a democracia. “Todo o poder emana do povo.”

Ajudem o Brasil a crescer. Povo educado país desenvolvido!

Para resolver o problema educacional da sociedade e do Brasil a solução está na educação pública de qualidade e maiores investimentos na pesquisa, ciência e tecnologia e não em orçamento secreto, emendas e negociatas com o dinheiro público para atender outros interesses.

O Artigo 37º da Constituição Federal precisa ser respeitada e cumprida: “A administração pública direta, indireta ou fundacional, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e, ….”

É de fundamental importância que a sociedade avalie a péssima qualidade do ensino no Brasil, visto que entre o final do século XX e as duas primeiras décadas do século XXI a educação ficou deseducada, a saúde ficou doente e a segurança ficou insegura, dentre outros retrocessos institucionais, políticos e econômicos, causadores do desemprego, fome, miséria, desigualdade social, inflação alta, face o nível dos políticos que o eleitor vem elegendo e reelegendo, após a Constituição de 1988.

Quem não gosta de política é governado por quem gosta, basta avaliar o percentual (%) de abstenções, votos nulos e em brancos a cada eleição. A omissão do voto pelo eleitor é um dos causadores da péssima qualidade dos representantes do povo, visto que políticos que possuem caráter e compromisso com as causas coletivas não fazem o jogo do SISTEMA, considerando que CARÁTER NÃO TEM PREÇO.

A sociedade é cruel com ela mesma. Refletir o porquê de tanta despolitização e o crescimento da violência no país, é de fundamental importância, visto que toda e qualquer decisão é política. O Darcy Ribeiro escreveu: “A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto.”

Muito do que nos leva ao sofrimento é a ignorância. Ninguém respeita mais ninguém. Nessas duas décadas do século XXI, seres humanos passaram a ter comportamentos e atitudes de seres irracionais, o que tem deixado a sociedade intranquila, desesperada, assustada e medrosa e o pior descredito nos Três Poderes Constituídos.

A violência no Brasil é um problema estrutural de nossa sociedade que gera pânico na população, perdas financeiras para o país e que reduz a qualidade de vida do povo brasileiro. O problema da violência no Brasil está relacionado à falência e corrupção nas instituições públicas, principalmente a educação e segurança.

Analisem: “O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica é alarmante, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.”

Os dados do Ideb são bastante negativos e explica que educar é pensar na aprendizagem dos alunos. A forma como a educação é empregada e enxergada precisa ser alterada para o cenário mudar. É um modelo de política educacional que pouco conversa com a comunidade onde se dá a educação; que tem uma infraestrutura das unidades escolares que estão cada vez mais degradantes. Formação com muita teoria e distante da realidade são um dos principais problemas para a formação de qualidade do aluno.

O futuro Presidente e Parlamentares eleitos precisam repensar as formações, caso de fato o país queira sair da atual situação de baixo índice de aprendizagem escolar tanto nos anos iniciais e finais do ensino fundamental como também no próprio ensino médio e universitário. O Brasil precisa fazer uma mudança radical com mais suporte de recursos e não com corte de recursos pelo MEC.

Ao propor uma reflexão sobre a educação brasileira, vale lembrar que só em meados do século XX o processo de expansão da escolarização básica no país começou e que o seu crescimento, em termos de rede pública de ensino, se deu no fim dos anos 1970 e início dos anos 1980. Muitos dos índices divulgados, podem se tornar críticos e até se indagar com questões a respeito dos avanços, concluindo que se a sociedade muda, a escola só poderia evoluir com ela. Talvez o bom senso sugerisse pensarmos dessa forma. O fato é que governo não prioriza a educação e a educação está fortemente aliada à qualidade da formação dos professores. No entanto se faz necessários investimentos nos Professores e não gastos com professores. Certamente, os professores não podem ser tomados como atores únicos nesse cenário. Podemos concordar que tal situação também é resultado de pouco engajamento e pressão por parte da sociedade, que contribui para a omissão do governo e das Casas Legislativas no poder de decisão no priorizar a educação. Enquanto isso, nós continuamos longe de atingir a meta de alfabetizar todas as crianças até os sete anos de idade com escola em tempo integral com três refeições e merendas.


“Um povo educado não aceitaria as condições de miséria e desemprego como as que temos.” Florestan Fernandes


“Educar é crescer. E crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra e mais: Sou contra a educação como processo exclusivo de formação de uma elite, mantendo a grande maioria da população em estado de analfabetismo e ignorância. Anísio Teixeira.


“Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo.” Paulo Freire


Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Ex-Assessor da Pro Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação da UFBA, Ex-Consultor Técnico da UFES–Universidade Federal do Espirito Santo e Ex-Assessor do IAT – Instituto Anísio Teixeira – www.aldericosena.com