Humano age como ser desumano, a sociedade é cruel com ela mesma - Alderico Sena

Humano age como ser desumano, a sociedade é cruel com ela mesma


“Desde que o coronavírus chegou ao Brasil, em março de 2020, junto com todas as questões científicas vinculadas à Covid-19, as desigualdades sociais, o desrespeito e a crueldade foram evidenciados. Todos sabiam, por exemplo, das diferenças de acesso a atendimento médico entre ricos e pobres ou brancos e negros, mas a pandemia deixou isso ainda mais patente, assim como explicitou na arena da internet a violência do mais forte contra o mais fraco.”


“Todo ser humano tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar-lhe, e a sua família, saúde e bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle — Artigo XXV da Declaração Universal dos Direitos Humanos”.

“Engraçado, o homem se considera o animal mais inteligente e é o único animal que destrói a natureza”; “Chegará o tempo em que o homem conhecerá o íntimo de um animal e nesse dia todo crime contra um animal será um crime contra a humanidade”.

Quem não preserva a natureza, maltrata e violenta o ser humano e os animais é alguém que não aprendeu os princípios e valores de amar e respeitar o próximo em casa como a si mesmo. Escreveu Madre Tereza de Calcutá. “O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá”.

A postura deseducada, ambiciosa, antiética, corrupta e criminosa do ser humano no campo político, profissional, social e institucional penaliza toda a sociedade, inclusive a família. Quando o homem não preserva a natureza que o alimenta, cura, dar vida às pessoas e aos animais, imagine o comportamento cultural desse indivíduo. A falta de investimento em educação pelo governo e a desestruturação familiar tem levado cidadãos a agirem de forma desumana, violenta e até cruel com ela mesma o que tem levado medo e insegurança a toda a sociedade.

Não foi por um acaso que nosso estimado Raul Seixas, cantor, compositor, assim afirmou “Quanto mais conheço a humanidade mais eu amo meus cachorros”. Essa frase do Raul, lembrei de um Seminário Cooperativista em Santa Catarina, onde o Palestrante perguntou aos participantes: “Sabem o porquê o cachorro é o melhor amigo do homem? Como ninguém respondeu, ele disse: NÃO GOSTA DE DINHEIRO”.

O que se vê recorrente, é que muitos de nós estamos entristecidos com nossa própria espécie, devido o egoísmo, ignorância e desonestidade do ser humano.

A educação esta deseducada em casa e na escola, razão principal do ser humano estar agindo como ser desumano. A sociedade é cruel com ela mesma.


Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas – aldericosena@gmail.com