Foco de insatisfação abre crise no PDT da Bahia

Um foco de insatisfações entre militantes históricos, movimentos sociais e políticos tem causado uma grande crise interna no PDT da Bahia. As insatisfações vêm se arrastando há um bom tempo e eram tratadas mais nos bastidores, mas agora parece que a temperatura esquentou de vez e o movimento já se espalha aos quatro cantos, inclusive com conhecimento da direção nacional.


O foco de insatisfação concentra-se na direção estadual e a forma como o deputado federal Félix Junior conduz a legenda brizolista no Estado. Por conta disso, buscando apagar o incêndio, o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, é convidado e deve desembarcar na Bahia a qualquer momento.


Candidato a vereador nas eleições de 2016, ex-Vice-Presidente da Executiva Municipal de Salvador, Presidente do Movimento dos Aposentados da Bahia e ex-Vice Presidente Nacional do MAPI – Movimento dos Aposentados do Partido, Alderico Sena é um dos insatisfeitos com a condução do PDT. Segundo ele, além de militantes e dos movimentos sociais do partido, alguns prefeitos e vereadores do interior também não estariam satisfeitos com a forma que é conduzida a gestão do presidente Felix Mendonça. O Partido perdeu recentemente as ex-Prefeitas de Itaparica e de Terra Nova por insatisfações e poderá perder outros.


“O presidente usa o partido e não o que rege o Estatuto Social e o Programa do Partido. Felix é um capitalista e não tem nenhum perfil para estar à frente de um partido democrático e trabalhista”, disse. O PDT é um partido que tem programa, história e bandeiras com a educação e o trabalhismo, onde difere totalmente com o perfil do presidente Felix Mendonça”, acrescentou.


Ainda de acordo com Alderico Sena, que recentemente pediu afastamento da presidência do MAPI-BA – Movimento dos Aposentados, Pensionistas e Idosos, a insatisfação é tão grande entre componentes dos movimentos sociais, militância, prefeitos, vereadores, filiados e até de Deputados que alguns companheiros já deixaram o partido e outros pensam em sair, conforme publicações na mídia, devido a forma de condução do presidente para com o PDT. Ele cita os nomes dos Professores Joviniano Neto, Chico Pica-Pau, Desidério B. Melo, Mario Píton, Feliciano Neto, dentre outros companheiros.


Além de Alderico Sena, outros pedetistas históricos também já se manifestaram publicamente, revoltados com a condução da atual direção estadual. Este é o caso, por exemplo, do Professor Desiderio Melo. O discurso parece ser o mesmo: que a direção estadual não se reúne, não escuta os movimentos sociais, não valoriza as lideranças, e a prioridade não é o partido e sim outros interesses do deputado que preside a legenda na Bahia. “Desse jeito não tem como o partido crescer, sem ouvir as bases, sem valorizar os companheiros”, disse Alderico Sena.

Visto toda esta situação desagradável para um Partido Democrático Trabalhista é que os Movimentos Sociais, Militância, Vereadores, Prefeitos dos Munícipios e filiados, criaram um grupo no ZAP “REESTRUTURAÇÃO DO PDT DA BAHIA” e semanalmente aos sábados, debatem, através de LIVE IDEIAS E PROPOSTAS QUE VENHAM CONTRIBUIR PARA A REVITALIZAÇÃO DO PDT DA BAHIA.

Por conta da crise, os Movimentos Sociais e a Militância do partido estão solicitando uma audiência ao Presidente nacional Carlos Lupi para reivindicar a transformação do PDT da Bahia em DIRETÓRIO para que os filiados tenham o direito de escolha dos seus componentes para conduzirem o destino do Partido de forma democrática. Mas, para tanto, primeiro o grupo solicita a Lupi vir à Bahia para uma reunião com o grupo “REESTRUTURAÇÃO DO PDT DA BAHIA”, afim de deliberar sobre o processo de mudança. Alternância de poder é preciso. “É preciso que isso aconteça para que o PDT ganhe novos rumos e bote em prática o estatuto e o programa que Leonel Brizola, Darcy Ribeiro e tantos outros líderes defenderam durante a sua fundação”, concluiu Alderico Sena – Ex- Presidente da Executiva Municipal da Cidade do Salvador do PDT/BAHIA.

Arquivos Recentes