top of page

Dia da consciência negra deve ser todos 365 dias do ano com educação e respeito - Noticia Livre


                             COLUNISTASDESTAQUES Alderico Sena

SEM A MÁQUINA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE NÃO HÁ SOLUÇÃO!

 

“A Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que transforma o Dia da Consciência Negra, celebrado no dia 20 de novembro, em um feriado nacional.” O projeto de lei só depende da sanção do presidente Lula para entrar em vigor.

 

No exercício da cidadania e soberania, aprendi em casa a dá valor a mim mesmo e me respeitar. Acho que o Presidente Lula não deve sancionar essa Lei, considerando que dia da consciência negra deve ser todos (365 dias) do ano com investimento em EDUCAÇÃO.

 

Vamos avaliar conscientemente as frases dos Mestres educadores e político que seguem: “Só existirá democracia no Brasil no dia em que se montar no país a máquina que prepara as democracias. Essa máquina é a da escola pública.” Anisio Teixeira

“A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto.” Darcy Ribeiro.

“A educação é o caminho para emancipar o homem. Desenvolvimento sem educação é criação de riquezas apenas para alguns privilegiados”. Discurso de Leonel Brizola na conferência da UNE no Rio de Janeiro em 16.06.1961”.

 

Com educação pública de qualidade e boa formação de professores com certeza o cidadão negro poderá exercer quaisquer cargos em igualdade de condições nos Três Poderes, dentre outras instituições pública e privada.

 

Como Ex-Diretor da SECNEB Sociedade de Estudos da Cultura Negra no Brasil, filho de Eurico Senna negro com participação do motim no combate “A Revolta da Chibata” no período de 22 a 27 de novembro de 1910, irmão do Mestre de Capoeira Carlos Senna, aluno do Mestre Bimba em 1949. Em outubro de 1955 fundou o Centro de Pesquisa, Estudo e Instrução de Capoeira Senavox e do ex-combatente da 2ª Guerra Mundial pela Marinha, Gilberto Senna, peço aos irmãos negros uma atenção especial nas mensagens dos Mestres educadores Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira e Leonel Brizola, visto a discriminação racial e o jogo político do SISTEMA DA ELITE CAPITALISTA em pleno Século XXI.

Não me concebe o desconhecimento da história dos que lutaram pelo fim da escravidão negra no Brasil, como: “Luís Gonzaga Pinto da Gama, Maria Tomásia Figueira Lima, André Rebouças, Adelina a charuteira, Francisco José do Nascimento, Maria Firmina dos Reis, Abdias do Nascimento, Lima Barreto, João Candido Felisberto, Dr. Abdon Baptista, Juliano Moreira, dentre outros que não são lembrados, reconhecidos e valorizados pela mídia e pelos próprios negros. Em função dessa desinformação a elite usam “SERVIDÕES AMBICIOSOS” que correm atrás de projeção, fama, poder e dinheiro em cima daqueles que lutaram e sacrificaram a vida combatendo a escravidão e violências.

 

Sendo o segundo maior país do mundo com população negra (atrás apenas da Nigéria), um território que possui grande diversidade cultural, étnica e social. Porém, esta mesma diversidade não aparece em alguns lugares, como, por exemplo, na política. Como está o índice de negros com mandatos no Executivo, Legislativo, Judiciário e nas Forças Armadas?

 

A população negra precisa de união, conscientização, organização e participação para o fortalecimento das entidades representativas, visando combater qualquer tipo de racismo e discriminação no país para conquistar dignidade, bem-estar e garantindo-lhes o direito à vida do cidadão negro.

 

Não esqueçam que a elite e o capitalismo classificavam a CAPOEIRA para “marginais”. O Carnaval, Candomblé, Lavagem do Bonfim, Festas de Santa Bárbara, Conceição da Praia, Lapinha e Tabuleiro de Acarajé era para pretos e hoje encontramos infiltrados louros e louras de olhos verdes, azuis, vendendo “ACARA E ABARA, bem como no CANDOMBLÉ, dentre outras riquezas culturais africanas.

 

A Elite é ingrata e cruel com ela mesma. Ela utiliza, explora, ganha, poder, capital, fama em cima da CULTURA NEGRA E PRATICA O RACISMO E DISCRIMINA O CIDADÃO NEGRO.

O circuito do Carnaval era da Praça da Sé ao Campo Grande, onde o POVÃO brincava e suas famílias instalavam cadeiras e bancos nas avenidas para apreciarem seus filhos e netos brincarem, enquanto a elite brincava nos Clubes Sociais.

 

A sociedade sabe o porquê dos Filhos de Gandhy e o Bloco Ilê Aiyê serem fundados? Parabenizo esses dois Gigantes do Carnaval por preservarem e respeitarem as raízes e os objetivos dos fundadores.

 

O POVÃO E A PIPOCA, tinham várias opções para brincar, durante três dias do Carnaval, curtindo com felicidade e sem violência nos Blocos Filhos do Mar, Mercadores de Bagdá, Barroquinha O Hora, Os Lordes, Paroano Sai Melhor, Snife, Alvorada, Alerta Geral, Secos e Molhado, Previsão e as Escolas de Samba, Juventude do Garcia, Filhos do Tororó, Ritmo da Liberdade, Diplomatas de Amaralina e no Trio Elétrico Tapajós, dentre outras entidades carnavalescas.

 

A cultura negra é rica com um potencial fantástico, onde o capitalismo e políticos tiram proveitos e enganam a população menos desinformada e manipulada, conforme observação do Mestre Darcy Ribeiro. “A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto”.

 

Leiam abaixo o jogo do SISTEMA, conforme artigo que escrevi no JORNAL A TARDE publicado em 06/06/2006, sob o título: POLITICA E POLITICAGEM

“O eleitor precisa distinguir política de politicagem. Política é a arte de trabalhar para o bem comum e politicagem é utilizar irresponsavelmente e criminosamente a consciência do POVO e o erário público para atender aos interesses pessoais ou de grupos. Quando não se vota no candidato corrupto, o eleitor está agindo com consciência e responsabilidade. É só pesquisar no GOOGLE o perfil dos candidatos antes de conceder o seu voto na URNA.

Mas, quando se vota MAL, está colocando uma corja de políticos descomprometidos nos PODERES para representar os destinos de uma cidadania, de um município, de um Estado e do País.”  Alderico Sena

 

Sociedade, à violência, desigualdade social, fome, miséria e outros desprazeres que a cidadania enfrenta em seu dia, dia, são reflexos da falta de investimento na educação em tempo integral e a valorização do professor, considerando que educação não é somente despesa é principalmente investimento.

 

A CPI DO ELEITOR É VOTO CONSCIENTE E QUEM QUER RESPEITO SE RESPEITA. SEJA A MUDANÇA NAS ELEIÇÕES DE OUTUBRO DE 2024 E PARE DE RECLAMAR.

 

Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Ex- Diretor da SECNEB – Sociedade de Estudos da Cultura Negra no Brasil, Ex- Assessor da UFBA/UFES e do IAT – Instituto Anísio Teixeira – aldericosena.@gmail.com 

 

Comments


bottom of page