CPI do eleitor é o voto consciente para reconstrução do Brasil - Noticia Livre - 30 de agosto, 2022


Colunistas Destaques - Alderico Sena


A escassez de líderes, os poderes constituídos fragilizados e a falta de investimentos na educação são os principais fatores que contribuíram para a banalização dos valores morais na administração pública.


Na Constituição da República Federativa do Brasil está escrita no artigo 37º “A administração pública direta indireta ou fundacional, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e, ….” o que não foi cumprida e honrada nesses 34 anos da Promulgação da LEI MAIOR.


A moralização da administração pública precisa passar por limpeza com uma CPI do eleitor que é o voto consciente na URNA no dia 02 de outubro.

O eleitor, precisa refletir e pensar no Brasil e nas futuras gerações para eleger candidatos comprometidos com a educação pública em tempo integral de qualidade com às 5 refeições para às crianças, ensino técnico profissionalizante para educação, formação para jovens com recursos do Sistema “S”.


No entanto o eleitor precisa exercer, a soberania, a cidadania de forma consciente, sem ódio e paixão, bem como não devem omitir o voto e nem votar em branco, considerando que a abstenção, só ajuda a reeleger e eleger políticos inescrupulosos e antiéticos que usam eleitores desinformados para atender os interesses pessoais e grupos.


O Brasil carece de valores morais, lideranças e de Poderes fortes, independentes e respeitados. O Brasil precisa de mudanças, considerando o descrédito nos Poderes Constituídos e quem tem o dever de fazer acontecer é o eleitor, considerando que a escolha dos governantes e políticos a opção é do POVO. Afinal, “Todo o poder emana do povo que exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos da Constituição.” Artigo 1º Parágrafo Único.


A única ARMA DO ELEITOR É O TITULO ELEITORAL, é só acessar o Portal: www.transparenciabrasil.gov.br para levantar a história familiar, política e profissional dos candidatos, antes de colocar o voto na URNA. Lembrando que nem todos os políticos são iguais. “VOTE NO MENOS PIOR”


O grave erro dos eleitores é abster o voto. A abstenção tem crescido desde 2006, motivo do péssimo nível de representação política. Quatro anos depois, o índice subiu para 18,1%, e chegaram aos 19,4% nas eleições presidenciais passadas, em 2014. Em número de eleitores, a porcentagem desse ano representou 29,9 milhões de pessoas. Nas eleições de 2018 o índice foi de 20,3%


Um recado aos eleitores que abstiveram o voto nas eleições de 2018 e 2020. Votar em branco e nulo não é a solução. Mudar: Doí. Continuar como está: Doí. Escolha uma das dores e pare de reclamar. SEJA A MUDANÇA!


O Brasil para crescer precisa de políticos com Três C – caráter, competente e comprometido com as causas socioeconômico que defendam investimentos na educação, saúde, segurança, cultura, ciência, tecnologia e inovação, previdência social, assistência social, Desportos, agricultura, meio ambiente, comunicação social, infraestrutura e melhoria das BR’S para o escoamento da produção, dentre outros investimentos para o crescimento do Brasil.


Uma revisão constitucional e uma reforma política séria se faz necessária, já no início do próximo governo, por sua importância básica, porque é na área do governo que se decidem os destinos do país e as condições de vida da população. Essa verdade está clarificada na conhecida observação de BRECHT: “O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, da farinha, do aluguel, o sapato e do remédio dependem das decisões políticas.”


O sistema de decisões políticas apresenta alguns defeitos fundamentais, que vêm de longa tradição autoritária, centralizadora e elitista. São eles: – a centralização unipessoal do poder; o sistema eleitoral defeituoso; a má organização e concentração de poder partidária; o poder concentrado facilita o clientelismo, a corrupção e o desvio de recursos públicos.


CPI DO ELEITOR É O VOTO CONSCIENTE PARA RECONSTRUÇÃO DO BRASIL PARA O BEM DO BRASIL E DO POVO. QUERER É PODER!


Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Coordenador de Pessoal da Assembleia Estadual Constituinte de 1989, Ex- Vice Presidente da Executiva Municipal de Salvador do PDT– Partido Democrático Trabalhista e Ex- Superintendente do SESCOOP – Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo da Bahia – site: www.aldericosena.com