A desestruturação famíliar e educacional JORNAL A TARDE

A desestruturação familiar e educacional tem levado o jovem a adotar um comportamento extremo o que tem levado a um novo modelo de relações entre pais e filhos. Resgatar a essência familiar é um dever cívico de todo cidadão, considerando que a falta de afeto no seio familiar tem contribuído e muito para a baixa autoestima dos jovens, causando em primeira instância a automutilação, isolamento, ingresso com drogas e até ao suicídio.

Filhos são referências e exemplos da educação e dignidade dos pais. É vergonhoso como o desrespeito já começa em casa e reflete na escola. As crianças não respeitam mais professores não por culpa deles, mas sim, por culpa de muitos pais que não colocam a questão da educação familiar como prioridade, afinal a educação é a base do desenvolvimento humano.

Disciplina, limite e responsabilidade se aprende em casa. Interação, amizade, lealdade, pureza, solidariedade, cooperação e compartilhamento entre irmãos se aprende também em casa. São princípios e valores educacionais do ser e não do ter consumismo. O ter na cabeça dos jovens na atualidade, é o que prevalecesendo um dos causadores do desvio de conduta levando a um caminho sem volta.

Muitos pais esquecem que filhos querem é um amigo para conversar, assistir um filme, um show, um jogo, ir ao restaurante, uma praia, enfim quer está ao lado do pai e ser um filho, irmão de fé e camarada e não um estranho colega.

Hoje, o que mais se vê são filhos órfãos de pais vivos e depressivos por falta de afeto dos pais. Quando querem falar com o pai, ou a mãe esses estão ocupados com muitas atividades, o que tem provocado o filho a recorrer ao uso de drogas e a praticar atos de delinqüências.

Parte da Juventude encontra-se desestimulada e alheia a uma palavra de conversar. Muitas vezes, por desencanto ou por ser órfão de pai e mãe vivos, vai buscar no tóxico e na vadiagem, a solução para suas carências que, certamente não existiriam se houvesse mais carinho, amor, harmonia e paz nas famílias.

“Todo homem, cada homem, é responsável pelo destino da humanidade, por suas ações ou omissões”. “O individualismo gera o egoísmo, raiz de todos os males”.“A dignidade do homem reside na família (Papa João Paulo II) ”.“O cidadão que não conhece os seus direitos, não tem o direito de lutar por eles”. Rui Barbosa. Princípios familiares e educacionais são as ferramentas básicas de formação, transformação e socialização da criança, considerando que família é o alicerce e a educação a base de todo cidadão. Só poderemos formar bons cidadãos, ensinando as crianças desde as primeiras letras a serem cidadãos. Família é a essência. Pais educam e a escola ensina! Educar para transformar. Povo educado país desenvolvido. Querer é Poder!

ALDERICO SENA – ESPECIALISTA EM GESTÃO DE PESSOAS – ALDERICOSENA@GMAIL.COM

Arquivos Recentes