Virtudes cívicas dos que governam

Publicado: 29 Julho 2016 - Noticia Livre

Autoridade pública que tem em suas mãos as rédeas do poder seja no Legislativo, Executivo e Judiciário, deverá, sempre, proceder com justiça, desprendimento, autonomia, ousadia, coragem e imparcialidade. Virtudes cívicas dos que governam devem conduzir suas atividades com os princípios éticos e morais como: a) Isenção; b) Espírito de desprendimento e c) Espírito de empreendimento. Significa que o poder público deve ter a sensibilidade necessária de perceber os anseios da comunidade e a energia suficiente para tomar as providências indispensáveis à realização dos empreendimentos capazes de satisfazer tais anseios da sociedade, município, estado e Brasil.

A eficiência de um governo se mede não pelo que ele diz de sua gestão e nem pelas promessas que faz, porque promessas são levadas pelo vento, mas sim pelas obras ou serviços que são úteis à coletividade.

Partidos políticos fortes já existiram, até os anos 80, hoje existem mais siglas do que agremiações partidárias que tenham propostas e programas de governo. Assistimos de camarote a políticos que no passado eram direitas e estão na esquerda ou centro-esquerda e vice-versa. Ou não é?

Partidos políticos são órgãos canalizadores da opinião publica. Esses devem ter uma ideologia e um programa de ação. A ideologia é algo de permanente e vem a ser o conjunto de princípios que devem nortear toda a ação no campo político. Antigamente, o que se militava dentro dos partidos políticos, era de maneira mais ativa e dinâmica. A sociedade e em particular a juventude precisa participar de partido político e de entidade representativa por ser uma escola de aprendizagem e um canal para se debater, discutir, reivindicar, defender, propor e conquistar conhecimentos culturais, econômicos, sociais e políticos. Uma das minhas propostas como pré-candidato a vereador na Cidade do Salvador é defender e apoiar a revitalização de Grêmio e Diretório nos estabelecimentos de ensino como veículo para o nascimento de líderes. A escassez de líderes no Brasil é um dos fatores causadores da crise moral e política que assola o país e alguém com coragem precisa fazer algo. Que saudade faz as disciplinas OSPB e a Educação, Moral e Cívica nas escolas.

Somente assim evitaremos os choques e conflitos desastrosos a que temos assistido nesses últimos tempos entre a sociedade e os três Poderes, onde foge completamente o que está escrito na Constituição da Republica Federativa do Brasil. Cadê o respeito à democracia e à Constituição? Cadê o exercício de cidadania do nosso povo? O bom político e o bom cidadão são aqueles que exercem a sua cidadania na defesa das causas sociais e dos Símbolos Nacionais, com senso de justiça, enunciando a opressão, o abuso de autoridade, a corrupção, a impunidade, toda forma de violência, e intolerância.

A sociedade brasileira precisa exigir maiores investimentos em educação, em saúde, em segurança, em moradia, em geração de emprego, trabalho, renda e redução da carga tributária, a fim de diminuir as desigualdades sociais e que as pessoas menos favorecidas tenham condições dignas de trabalho para produzirem e ajudarem a construir um Brasil melhor, visando às futuras gerações.

Só para uma reflexão, da sociedade e das autoridades: se os recursos públicos desviados retornassem aos cofres do Tesouro Nacional e fossem destinados à valorização do professor, a educação, a saúde, e a segurança pública, da nossa sociedade, a educação não estaria deseducada, a saúde não estaria doente e a segurança não estaria insegura. Tudo isso ocorre por falta de cumprimento das virtudes cívicas dos que governam.

É hora de ação e não de omissão. CPI DO ELEITOR É O VOTO CONSCIENTE. Político prestou fica, não prestou, fora. Esta deve ser à filosofia do eleitor e não votar branco e nem nulo para não eleger e reeleger políticos corruptos e manipuladores de eleitores menos informados. O momento é de reflexão, consciência política e o exercício da cidadania por todos os eleitores brasileiros para melhorar a qualidade dos representantes do povo nos 5.570 municípios brasileiros. ELEITOR SEJA A MUDANÇA. “OS QUE RESISTEM À MUDANÇA RESISTEM À REALIDADE E À VIDA.” QUERER É PODER!

Alderico Sena – Bacharel em Teologia, Sociedade e Política e Especialista em Gestão de Pessoas – www.aldericosena.com

Arquivos Recentes