A importância do Partido Político para a Sociedade

Publicado: Jornal A Notícia

Partido Político é a ferramenta adequada para o cidadão exercer a cidadania e assim assegurar a verdadeira democracia no País. Partido é um agente de interação entre sociedade e Estado. Partido político é a instituição que todo e qualquer cidadão deve participar para discutir, debater, criticar, defender, combater e apresentar idéias e propostas para a evolução econômica, social, cultural e política, visando o bem comum. Os interesses dos segmentos sociais ganham visibilidade pelo compromisso responsável e representativo.

O diálogo entre partido político e Estado é que contribui para a formação direta do cidadão, através do envolvimento efetivo de seus filiados. Em países desenvolvidos leva-se muito em consideração o conteúdo programático e os projetos a serem alcançados pelos partidos. Em países ‘subdesenvolvidos’ predomina a personificação do mandato, ou seja, é a disseminação do voto baseado nas características pessoais dos candidatos, sem conteúdo programático ou ideológico. O poder do capital e o ter do político, a partir dos anos 90 passaram a vencer o SER do político honesto, autêntico, verdadeiro e idealista.

Com esse Sistema “é dando que se recebe” bons políticos se afastaram da política para preservarem a dignidade e a família. O Sistema Político no Brasil virou balcão de negócios por altos grupos econômicos. A Essência do objeto de Partido com Programa foi descaracterizado. O Brasil necessita de no máximo cinco Partidos ideológicos e programáticos que estude, planeje e trabalhe para o bem do Brasil e não de trinta e dois Partidos que a maioria visa ser beneficiado com o fundo partidário e os Programas. Não existirá governante bom neste País, enquanto o eleitor não aprender a votar no SER E NÃO NO TER do político, só assim poderemos alcançar NOVOS RUMOS no Brasil com um Congresso Nacional Forte com políticos pensantes e de bons costumes.

O acesso a todo e qualquer poder deveria ser compreendido pelos brasileiros de maneira plena, em seu sentido político mais amplo. A escolha de candidatos pela popularidade tornou- se o grande diferencial no sistema partidário brasileiro. No entanto, a popularidade não é pelo fato de os candidatos possuírem condutas inabaláveis na vida pública e profissional. Esta realidade social traz grandes prejuízos para todos, por vários motivos: a rotatividade das mesmas oligarquias no poder, e consequentemente, a contemplação dos interesses de poucos grupos financiados com uma alta carga tributária imposta a todos; o descrédito nos representantes políticos e o não envolvimento com a Política; o enfraquecimento da democracia pelos mandos e desmandos das oligarquias que, cientes do não envolvimento das pessoas, deliberam erroneamente sobre as políticas públicas, a exemplo disso os escândalos de corrupção por desvio do dinheiro público, número elevado de partidos políticos impotentes e sem programas, sistema político arcaico e ultrapassado, dentre outros equívocos partidários, prejudiciais à sociedade e o Brasil.

Mas seria possível uma mudança estrutural de forma que a realidade brasileira resultasse em melhoria da qualidade de vida às pessoas? Acreditamos que sim. Para tal, dois fatores que julgamos essenciais: em primeiro lugar é o cumprimento dos deveres cívicos por todo e qualquer cidadão, considerando que cada indivíduo é responsável pela sociedade em que vive e, em segundo lugar, a compreensão do conceito de “interesse público” por parte daqueles que desejam representar uma coletividade. Todo e qualquer cidadão precisa aprender que Partido político é a ferramenta adequada para o cidadão participar, discutir, debater, reivindicar, criticar, combater, defender e propor ações quanto às questões dos Símbolos nacionais, visando o bem comum e o desenvolvimento do Município, Estado e União, visando assim buscar construir um Brasil melhor para as futuras gerações.

O Brasil carece de Partido com Programa definido e lideranças autênticas como exemplo: Leonel Brizola, Ulisses Guimarães, Franco Montoro, Luiz Carlos Prestes, Miguel Arraes, Teotónio Vilela, dentre outros. Por esta razão, defendemos uma Reforma PARTIDÁRIA E POLÍTICA SÉRIA E NÃO COM EMENDAS, sem estas reformas continuaremos beneficiando os mesmos PARTIDOS TRADICIONAIS e continuando a ser um País sem educação e “ORDEM E PROGRESSO”, devido à corrupção e a impunidade. Eleitor o momento é de reflexão e ação, como está à política é que não pode permanecer devido à falta de exercício de cidadania e consciência política do eleitor. Com trabalho, seriedade e compromisso com o bem-estar das futuras gerações agente constroem um Brasil melhor.

O pior analfabeto é o analfabeto político, ele não sabe que o remédio, o pão, o feijão, a farinha, a gasolina, a saúde, a educação, o transporte, enfim tudo depende de decisão política. Filie-se aopdtba@hotmail.com – 71 33220448 para ajudar a: “Combater o bom combate, completar a carreira e guardar a fé”. Só assim poderemos defender a EDUCAÇÃO PUBLICA EM TEMPO INTEGRAL E O TRABALHISMO.

ALDERICO SENA– Bacharel em Teologia, Sociedade e Política, Especialista em Gestão de Pessoas, Vice-Presidente do PDT de Salvador e Presidente do Movimento do Aposentado e Pensionista d PDT- Partido Democrático Trabalhista.

Arquivos Recentes