Exemplo de cooperação à sociedade

Cooperação é uma relação baseada na colaboração entre indivíduos ou organizações, no sentido de alcançar objetivos comuns, utilizando métodos mais ou menos consensuais. Da mesma forma, os indivíduos podem organizar-se em grupos que cooperam internamente e, ao mesmo tempo, competem com outros grupos. A cooperação é ainda vista por muitos indivíduos como a forma ideal de gestão das interações humanas.

Existem quatro condições que tendem a ser necessárias para que se desenvolva o comportamento cooperativo entre indivíduos: a) Motivações ou desejos coincidentes; b) A possibilidade de futuros encontros com esses indivíduos; c) A memória de encontros passados com esses indivíduos e d) Um valor associado às consequências futuras do comportamento analisado.

A solidariedade é a adesão circunstancial à causa ou à empresa de outros. Por norma, este termo emprega-se para denominar uma ação generosa ou bem-intencionada. Portanto, ser solidário não é só prestar ajuda, uma vez que também implica um compromisso com aquele a quem se oferece a sua solidariedade. O sentido mais básico da solidariedade supõe que seja exercida sem discriminação de sexo, raça, nacionalidade, religião ou afiliação política. A verdadeira solidariedade consiste em ajudar alguém sem receber nada em troca e sem que ninguém saiba. Ser solidário é, na sua essência, ser desinteressado. A solidariedade só se move pela convicção de justiça e igualdade. “O individualismo é que gera o egoísmo, raiz de todos os males”. DOM HELDER CÂMARA.

Exemplo da cultura do “EU” exercida no meio associativo é vergonhoso, devido à falta de consciência e participação de associados nas Assembleias de Condomínio, Partido Político, Associação, Sindicato, dentre outras entidades representativas. Leiam trecho das palavras da Presidente Regina Martinelli, da Associação de Moradores e Amigos da Barra, publicada na Revista Muito, edição 348 de 25 Janeiro de 2015: “Conhecida no Bairro, Regina recebe “oi” a cada esquina e acaba ouvindo as reclamações dos moradores. Na associação, porém, são pouco mais de 50 membros, sendo seis na diretoria. Para ela, as pessoas não têm o hábito de participar e medo de se expor. Não há muita consciência sobre o direito à cidadania”.

Transcrevemos exemplo de cooperação de um velho para reflexão e ação da sociedade: “Um velho e rico fazendeiro, já às portas da morte, pediu que se reunissem ao redor de seu leito todos os seus filhos. Depois de narrar toda a sua vida, falando das dificuldades que enfrentara até formar a família e construir o patrimônio que deixaria como herança a todos, tirou de sob o cobertor um feixe de varas e entregou ao filho mais velho, recomendando que o partisse assim como estava. Embora empregando todas as suas forças e usando a inteligência para encontrar a melhor forma de obter o que lhe pedia o pai, não conseguiu fazê-lo. Mesmo depois de retorcidas e esmagadas, as frágeis varinhas do feixe não foram rompidas por nenhum dos jovens, que as devolveram ao idoso. Este, por sua vez, desamarrou o feixe, quebrando facilmente cada uma das varinhas, observando: - Estou deixando a vocês um patrimônio sólido, que eu, sua mãe e os mais velhos de vocês construímos. Se este patrimônio cresceu, se tornou produtivo e forte, foi porque sempre estivemos unidos e pudemos resistir às intempéries, às crises e aos interesses dos que nos invejaram. Gostaria que após a minha partida, todos continuassem juntos para conservarem o que lhes deixo. Se decidirem dividir o que temos, é bem possível que aconteça a cada um o que aconteceu com estas varinhas. Separadas, são fáceis de quebrar...”

É cultural a falta de cooperação, ajuda mutua e solidariedade do ser humano, exemplo real é como é tratado o meio ambiente, quando pessoas praticam o desmatamento, poluição de rios, dentre outros desmandos contra a natureza. A crise da água, da energia e de outros produtos são lições que a natureza ensina. A natureza é sábia e abundante. A sociedade é cruel com ela mesma. O momento é de reflexão e ação para a mudança cultural e comportamental do cidadão. Lembrando que: quem cria e descria qualquer coisa é o ser humano. Querer é Poder!

A Constituição Federal está escrita Art.10 - “Dos Princípios Fundamentais, constitui-se em Estado Democrático de Direito: A soberania; a cidadania; a dignidade da pessoa humana; os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; o pluralismo político”. Basta colocar em pratica o exercício de cidadania. Ninguém é tão forte quanto todos junto pela defesa dos interesses comuns. Vamos juntos construir um Brasil melhor preservando a natureza, observando o exemplo e a lição de cooperação de: “Um velho e rico fazendeiro”?

ALDERICO SENA – ESPECIALISTA EM GESTÃO DE PESSOAS, VICE-PRESIDENTE DO PDT DE SALVADOR, PRESIDENTE DO MOVIMENTO DO APOSENTADO, PENSIONISTA E IDOSO DO PDT – PARTIDO DEMOCRÁTICO TRABALHISTA E EX-SUPERINTENDENTE DO SESCOOP-SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO DO ESTADO DA BAHIA

Arquivos Recentes