1º de Novembro, 15 anos de SESCOOP/BAHIA

31 Oct 2014

 Publicado: Jornal Notícia Livre 

 

          Como Ex-Superintendente e fundador do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado da Bahia, SESCOOP/BA, da Federação dos Sindicatos das Cooperativas dos Estados de Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Santa Catarina (FECOOP/SULENE) e da Confederação Nacional das Cooperativas - CNCOOP, tenho a grata satisfação de prestar uma singela homenagem ao SESCOOP/BAHIA pela passagem dos seus 15 (quinze) anos de fundação, cooperando de forma direta com o crescimento e o desenvolvimento econômico social e cultural da Bahia e do Brasil.

 

    O SESCOOP- Serviço Nacional de Aprendizagem do Estado da Bahia foi implantado em 1º de Novembro de 1999, sob a gestão da primeira Diretoria Executiva conduzida pelo Dr. Orlando Colavolpe Presidente e Alderico Sena Superintendente. O SESCOOP - Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo é uma instituição sem fins lucrativos, integrante do Sistema “S” que tem como objetivo o desenvolvimento do cooperativismo. A criação do SESCOOP a nível Nacional ocorreu através da Medida Provisória 1715 de 1998 e regulamentado pelo Decreto 3017 de 1999 foi uma conquista do Sistema como instrumento de educação dos cooperados, empregados e dirigentes de cooperativas para que venham interagir no mercado globalizado em igualdade de condições.

 

    O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – SESCOOP é uma entidade que tem como objetivo regimental a capacitação, o monitoramento e a promoção social, dos cooperados, empregados de cooperativas e de seus familiares. As atividades de formação cooperativista empreendem a construção de uma identidade do cooperado que atenda a uma nova forma socioeconômica de ser, através da educação, treinamento e informação.

 

   Seus objetivos são: Organizar, administrar e executar o ensino de formação profissional, a promoção social dos empregados de cooperativas, cooperados e de seus familiares, e o monitoramento das cooperativas em todo o território nacional; Operacionalizar o monitoramento, a supervisão, a auditoria e o controle em cooperativas; Assistir as sociedades cooperativas empregadoras na elaboração e execução de programas de treinamento e na realização de aprendizagem metódica e contínua; Estabelecer e difundir metodologias adequadas à formação profissional e promoção social do empregado de cooperativa, do dirigente de cooperativa, do cooperado e de seus familiares; Exercer a coordenação, supervisão e a realização de programas e de projetos de formação profissional e de gestão em cooperativas, para empregados, associados e seus familiares; Colaborar com o poder público em assuntos relacionados à formação profissional e à gestão cooperativista e outras atividades correlatas; Divulgar a doutrina e a filosofia cooperativistas como forma de desenvolvimento integral das pessoas e Promover e realizar estudos, pesquisas e projetos relacionados ao desenvolvimento humano, ao monitoramento e à promoção social, de acordo com os interesses das sociedades cooperativas e de seus integrantes.

 

    As origens dos recursos para o SESCOOP são das cooperativas que recolhem para o INSS, através da GEFIP com um valor de 2,5% sobre a folha de pagamento dos seus empregados. O SESCOOP Nacional recebe recursos do Governo Federal, repassados pelo INSS, referente à contribuição social das cooperativas brasileiras; O SESCOOP estadual planeja as atividades de capacitação, monitoramento e promoção social, a partir das demandas das cooperativas locais; o SESCOOP Nacional aprova monitora e avalia os resultados alcançados; os recursos são repassados aos SESCOOP Estaduais, proporcionalmente às contribuições de 2,5% feitas pelas cooperativas do estado sob a folha de pagamento de empregados e mediante apresentação de um Plano Anual de Trabalho – PAT; O SESCOOP Estadual presta contas ao SESCOOP Nacional que consolida as prestações de contas, encaminhando-as para o Ministério do Trabalho e Emprego – MTE e o Tribunal de Contas da União – TCU. O SESCOOP é também auditado pela Controladoria Geral da União - CGU, pela auditória interna, a independente externa do SESCOOP Nacional e pelo Conselho Fiscal estadual.

 

       O cooperativismo baiano conquistou espaços bastante significativos, em nível Nacional devido à seriedade e o comprometimento com os objetivos da Instituição, como por exemplo: Ser referência do cooperativismo do Norte e Nordeste; Aumento do volume de recursos orçamentários para investimentos na formação profissional dos cooperados, dirigentes, empregados e de seus familiares; Assento no Conselho Administrativo e Fiscal do SESCOOP Nacional e da OCB – Organização das Cooperativas Brasileiras – Brasília-DF; a Presidência da Federação das Organizações das Cooperativas do Sudeste e Nordeste – FECOOP/SULENE e a Vice Presidência da Confederação Nacional das Cooperativas – CNCOOP.

 

    O Sistema Cooperativo da Bahia na gestão de Orlando Colavolpe e Alderico Sena, promoveu equilíbrio tanto entre eficiência econômica e eficácia social, quanto entre independência individual e interdependência coletiva, e geraram desenvolvimento e equitativa distribuição de renda e felicidade aos cooperados, dirigentes, empregados das cooperativas e seus familiares.

 

      Finalizo este artigo agradecendo de público a cooperação recebida da Imprensa e do Dr. Norberto Odebrecht na revitalização do Sistema Cooperativo baiano, quando da minha gestão a frente da OCEB – Organização das Cooperativas do Estado da Bahia. Se todos cooperarem construiremos um Brasil melhor! PARABÉNS!

 

  Alderico Sena – Especialista em Gestão de Pessoas, Ex-Superintendente do SESCOOP – Serviço Nacional de 

Aprendizagem do Cooperativismo do Estado da Bahia e da OCEB – Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado da Bahia -                                                         ALDERICOSENA@HOTMAIL.COM

Please reload

Alderico Sena

Bahia Noticias - Publicado

Segunda , 18 de Abril de 2016 - 08:08


comentou em: Câmara aprova envio de processo de impeachment de Dilma ao Senado

 

Como cidadão brasileiro, cumpridor dos meus deveres cívicos para com o meu país, fosse bem representado por um Congresso Nacional composto de uma maioria de deputados federais livre e de bons costumes, concordaria com a votação da aprovação do afastamento da Presidente. Infelizmente política virou balcão de negócios. Os interesses pessoais e de grupos estão prevalecendo, em detrimento aos interesses coletivos e do Brasil. Precisamos pensar no destino do Brasil e das futuras gerações. Esperamos que o Senadores façam prevalecer a ética, isenção e a imparcialidade para a ORDEM E PROGRESSO DO BRASIL. De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto. Rui Barbosa
Eleitor em outubro teremos eleição para vereador e Prefeito vamos avaliar o caráter e as referências dos candidatos para melhorar o perfil dos representantes da sociedade. É hora de ação e não de omissão! 

Arquivos Recentes
Please reload

Arquivos
Please reload

Siga minha Página abaixo: